A importância da ressonância magnética nas espondiloartrites.

2_Calcification_of_the_SI_joint-600x400

O envolvimento das articulações sacroilíacas e da coluna vertebral nas espondiloartrites axiais ocorre com grande frequência, sendo que a primeira manifestação costuma ser a sacroiliíte. Durante anos, os achados radiográficos foram considerados como marca registrada, no entanto sabemos que estes achados refletem apenas os danos estruturais ao invés de inflamação ativa. Na última década, o campo das espondiloartropatias sofreu grandes alterações, em grande parte movidas pelo desenvolvimento de novas drogas para o tratamento da espondilite anquilosante.

A Sociedade Internacional de Espondiloartropatias dedicou seus últimos anos na reavaliação dos critérios de classificação já existentes e para o desenvolvimento e validação de instrumentos de diagnóstico, para facilitar o diagnóstico precoce e a avaliação da resposta ao tratamento. A ressonância magnética (RM) foi uma das principais mudanças, apresentando papel importante na avaliação da doença.  Porém a principal mudança foi no diagnóstico precoce através da avaliação das sacroilíacas. A RM apresenta alta sensibilidade na detecção da inflamação aguda (sacroiliíte). Além de ser um dos principais critérios diagnósticos, a RM pode servir como avaliação da atividade da doença, como monitoramento e pode fornecer orientação para o tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *